24 de julho de 2012

pensando


São algumas as dificuldades de se viver em casal e essas, adicionadas as questões da paternidade e maternidade x dedicação aos filhos, facilmente se transformam em muitas.

A capacidade de suportar tais dificuldades varia de pessoa para pessoa. Eu particularmente toco meus deveres de mãe muito bem. Meus filhos me trazem incontáveis alegrias até mesmo quando estão dormindo. Para mim basta tê-los por perto. É claro que em contrapartida, momentos de separação são também muito prazerosos.  Acontece que o nível de doação na maternidade pode sufocar o nosso próprio ser que nas pequenas separações se desafoga.

Igualmente a relação marital pode oprimir nossa essência. Deste meu sentimento me veio a frase que em outro momento registrei: Deixemos ser os que estão ao nosso redor para que não necessitem nossa ausência.

Nosso tempo por aqui me parece demasiado contado para não desfrutar ao máximo e para sofrer além de nós mesmos. Deixemos o egoísmo para o mau humor e sejamos esplendorosos com nossas alegrias.

CARAMBA!

22 de julho de 2012

Tomás estendeu o braço para a Arara. Ficou muito orgulhoso!

Foz de Iguaçu



Semana do 10 ao 16 de Julho em Foz de Iguaçu.

11 de julho de 2012

Nao entendo...

Como alguem pode ter tédio.

gosto de

chocolate,
andar,
ouvir música,
desenhar,
cozinhar,
conversar,
tomar sol,
wisky,
 TV
cinema,
pipoca,
tomar café na padaria,
fazer as unhas,
cortar cabelo
trabalhar,
escrever,
andar na rua,
comprar tecido,
lojas de material para desenho,
levar as crianças para a escola
buscá-las,
ferias,
dormir,
andar no mato,
praia,
crochet,
papeis
banca de jornal,
revista,
Menorca,
Museu,
comprar frutas e verduras,